26 de outubro de 2016

EUNÁPOLIS: NADO CURANDEIRO FOI ASSASSINADO FRIAMENTE NA PORTA DE CASA

Um comentário :
OS BANDIDOS CHAMARAM PELA VÍTIMA QUE, AO ATENDER, LEVOU VÁRIOS TIROS SEM CHANCE DE DEFESA  
Eunápolis é uma bela cidade localizada no extremo-sul baiano, em pleno desenvolvimento, mas que, infelizmente, a violência cresce proporcionalmente, paralelamente, fazendo com que a sociedade fique sempre temerosa. Sair às ruas à noite torna-se quase uma aventura. Pelas contas que fizemos, só este ano já foram assassinadas aproximadamente cem pessoas.

A vítima da vez foi José Ronaldo Souza Santos, conhecido como Nado Curandeiro, de 56 anos, assassinado friamente na porta de um "terreiro", por volta das 11:50 hs, na Rua da Liberdade, 178, bairro Santa Lúcia. 

Segundo informações, dois elementos chegaram perguntando por ele e, como não estava, ficaram perambulando pelo local, aguardando. Quando Nado chegou, conversou com os elementos e adentrou no terreiro. Depois de alguns minutos, saiu novamente e foi recebido à balas, disparadas à queima roupa, que atingiram principalmente a cabeça.

Os assassinos chegaram a ser vistos pelas costas, por um familiar, correndo, fugindo do local do crime. Acredita-se que tinha algum veículo de apoio aguardando para dar fuga.

Em julho passado, Nado já teria sofrido uma tentativa de homicídio em sua residência, no bairro Sapucaieira, quando, quase à meia noite, desligaram os disjuntores do padrão de energia, fazendo com que o mesmo fosse verificar. Naquele momento, alguns elementos em um carro, dispararam vários tiros, mas ele conseguiu se esquivar, voltando rapidamente para dentro de casa.

Até o momento da reportagem, uma viatura policial guardava o corpo. As pessoas se aglomeravam no local, lamentando o ocorrido, pois, ao que parece, a vítima era querida pelos vizinhos. A Polícia investigará o crime e os motivos. Maiores informações a qualquer momento.

Um comentário :

  1. Na época da política, fala-se muito em segurança, mas depois, é cada um por si. A Polícia faz seu papel, mas precisa de reforço técnico, equipamentos, etc... aí as leis soltam, principalmente se forem menores.

    ResponderExcluir