MENINA DE 4 ANOS MORTA PELA MADRASTA SOFRIA AGRESSÕES CONSTANTES, DIZ POLÍCIA

MICAELA RAMOS TINHA MARCAS DE AGRESSÕES ANTERIORES ÀQUELAS QUE CAUSARAM A MORTE
A menina Micaela, de 4 anos, sofria agressões constantes, segundo o laudo inicial da perícia. Alguns vizinhos também relatam que a menina aparecia com hematomas no corpo, sem explicação. Joelma Souza da Silva, de 43 anos, madrasta da menina, é suspeita de matá-la. O pai, Felipe Ramos da Silva, de 29 anos, também foi indiciado pelo crime. Segundo Robson, vizinho da família, Joelma sempre inventava uma desculpa para os machucados ao ser alertada.
— Só vivia machucada. Eu avisei. Com certeza o pai dela via isso, mas não devia dar a mínima. Ela só vivia roxo, com olho inchado, e ela sempre falava que a menina tava brincando ou caía da cadeira. 

A menina nunca confirmou as agressões. Wando, junto com a esposa, também era vizinho da família e às vezes cuidava de Micaela enquanto o pai ou a madrasta estavam fora de casa.
— Ela ficava com receio de falar alguma coisa, entendeu? Falava que caiu no banheiro ou na escada.

O corpo de Micaela foi levado para o IML, onde passou por uma autópsia. Somente exames complementares poderão confirmar a causa da morte. A perícia inicial aponta que, além de estrangulamento, a criança foi atingida com pauladas. O delegado André Leiras, da Divisão de Homicídios da Capital, afirma que há elementos para prendê-los.
— Os elementos informativos que nós temos nesse momento já é o suficiente para termos a prisão deles decretada por homicídio qualificado e fraude processual.

Joelma tem passagem na polícia por lesão corporal. Leiras afirma que ela nega.
— Ela nega a todo momento a prática do crime. Quando é inquirida sobre o fato, ela não tem resposta, só dá respostas vazias. Ela não sustenta argumentações.

Em depoimento, o pai da menina afirmou que a companheira foi responsável pelo crime. Mas ele também será indiciado. A fraude processual aconteceu porque eles tentaram disfarçar a cena do crime para confundir os investigadores.
— Eles limparam a cena do crime, eles limparam, foi tudo lavado. Roupas de cama foram jogadas fora.

O filho de Joelma, de 25 anos, foi responsável por denunciar o crime à polícia. A mãe de Micaela ainda não foi localizada, e nenhum parente ainda liberou o corpo da criança do IML. 

Assista ao vídeo:

Aviso do Bocão 64

Caro internauta: A sua opinião sobre esta matéria é muito importante, mas os comentários que você postar nesta página, são de sua exclusiva responsabilidade e não representam a opinião do site. Rode o mouse para baixo, participe, comente e divirta-se.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.