Gerais

Tragédia em Brumadinho – Bolsonaro fala em “cobrar justiça” após sobrevoar área afetada

34 mortos, 81 desabrigados e 23 pessoas encaminhadas para hospitais. Quatro baianos estão entre os desaparecidos
O Presidente viajou a MG com ministros neste sábado para vistoriar trabalhos de equipes de resgate em área atingida por rompimento de barragem

Jair Bolsonaro usou o Twitter neste sábado (26) para se manifestar após sobrevoar as áreas atingidas pelo rompimento de uma barragem de rejeitos de minérios em Brumadinho (MG).


Bolsonaro disse que é difícil "não se emocionar" diante do cenário. Ele acrescentou que o governo fará tudo o que estiver ao alcance "para tender as vítimas, minimizar danos, apurar os fatos, cobrar justiça e prevenir novas tragédias", citando também o caso de Mariana, também em Minas Gerais, há pouco mais de três anos.

O avião presidencial decolou de Brasília às 8:30 hs e pousou em Belo Horizonte cerca de uma hora depois. De helicóptero, Bolsonaro, ministros e o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, sobrevoaram a região atingida pela lama que vazou da barragem da mineradora Vale.

O presidente retornou a Brasília por volta do meio-dia sem falar com a imprensa. Já o governador de Minas cobrou "punição exemplar" para quem vier a ser responsabilizado pelo acidente. 

"Não podemos querer pena de morte se a lei não prevê. Aquilo que a lei prevê será feito", disse. 

No aeroporto internacional de Confins, houve uma reunião com a presença do presidente e do governador, além da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ministros e o presidente da Vale, Fabio Schvartsman, para discutir a situação. (R7).


Quatro baianos

Quatro baianos estão entre os desaparecidos na tragédia de Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG), onde um barragem de rejeitos rompeu, na sexta-feira (25), e fez um mar de lama invadir parte da cidade.

Segundo familiares, Alex Mário Moraes Bispo, 22 anos, Ademário Bispo, 51, Ednilson Dos Santos Cruz e George Conceição de Oliveira, de idade não informada, trabalhavam em uma terceirizada da Vale, responsável pela barragem, e estavam na empresa no momento do ocorrido. Os nomes deles estão na lista de desaparecidos divulgada pela Vale, neste sábado (26).

Os quatro são do município de Santo Amaro, no recôncavo baiano, e tinham deixado a cidade para trabalhar. Dois deles, Ademário e Alex Mário, são tio e sobrinho. Os dois trabalham como mecânicos de montagem na Vale e estavam na empresa há cerca de 6 meses.

PUBLICIDADE:

Aviso do Bocão 64

Caro internauta: A sua opinião sobre esta matéria é muito importante, mas os comentários que você postar nesta página, são de sua exclusiva responsabilidade e não representam a opinião do site. Rode o mouse para baixo, participe, comente e divirta-se.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.