Gerais

Menina de 2 anos brutalmente agredida foi levada a hospital sem unhas e teve 40% do intestino removido

Foto: Reprodução

 

Criança foi retirada da mãe e do padrasto, que, segundo o Conselho Tutelar de Goiânia, negaram agressões. Caso é investigado pela polícia

Goiânia – A Polícia Civil de Goiás investiga maus-tratos contra uma menina de 2 anos que foi levada, às pressas, com ferimentos no corpo e sem duas unhas das mãos, para um hospital em Goiânia, onde teve de se submeter a cirurgia de urgência para retirada de 40% do intestino. Segundo o Conselho Tutelar, a mãe e o padrasto disseram que os hematomas foram provocados após a criança cair de bicicleta.

VEJA TAMBÉM: Vídeo mostra brutal colisão perto de Itabela

A menina recebeu alta do Hospital Materno Infantil, no último domingo (16/5), depois de ficar seis dias internada na unidade de saúde. Os sinais de maus-tratos fizeram os médicos acionarem o Conselho Tutelar, para a proteção da garota. A mãe dela é dona de casa e está gestante, e o padrasto, marceneiro.

VEJA TAMBÉM: Vídeo mostra CV executando rival

“No hospital, os médicos fizeram exames e identificaram sinais de vermelhidão no intestino. Em seguida, decidiram que deveriam fazer procedimento cirúrgico”, conta o conselheiro tutelar Carlin Júnior, em entrevista ao Metrópoles.

Foto: Reprodução

Coágulo no intestino

Somente depois de fazer a abertura da região do intestino da criança, os médicos identificaram um coágulo que tomou quase a metade do órgão dela, segundo informações repassadas pelo conselheiro tutelar.

VEJA TAMBÉM: Jovem mata a mãe a marteladas e diz que recebeu mensagem do tinhoso

“Foi retirada a parte equivalente a 40% do intestino que estava comprometida”, diz Carlin Júnior. “A criança estava sem unhas e com bastante marca de varadas no rosto, no pescoço e nas pernas”, acrescenta ele.

De acordo com o conselheiro tutelar, a mãe e o padrasto negaram ter praticado agressões contra a criança. “Os dois negaram, mas a criança foi agredida por alguém, e a Polícia Civil está investigando para saber quem foi”, afirma.

VEJA TAMBÉM: Vídeo - Homem agride companheira e acaba morto com facada nas costas

Proteção

Como medida protetiva, a menina foi retirada da casa da mãe e está sob os cuidados da avó materna. “A criança estava bastante assustada”, relata Carlin Júnior.

A mãe começou a chorar muito, segundo o conselheiro tutelar, após o caso ser encaminhado para a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), que investiga o caso.

“Mas vi esse comportamento mais como preocupação do que poderia acontecer na polícia, e não pela situação da criança em si”, diz o representante do Conselho Tutelar.

Durante a pandemia, os casos de maus-tratos contra crianças têm sido bastante frequentes, de acordo com o conselheiro. “Infelizmente, muitas denúncias não chegam até nós e, quando chegam, a situação das vítimas já está em situação como a dessa criança”, acentua.

 

Matéria/Fotos do Metrópoles


PUBLICIDADE:




Aviso do Bocão 64

Caro internauta: A sua opinião sobre esta matéria é muito importante, mas os comentários que você postar nesta página, são de sua exclusiva responsabilidade e não representam a opinião do site. Rode o mouse para baixo, participe, comente e divirta-se.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.