Ticker

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Novas modalidades de Pix são atrativos para comércio

 

Foto de Andrea Piacquadio no Pexels


Especialista da Pitágoras explica funcionalidades de saque e troco do meio de pagamento e como isso impacta negócios

Duas novidades foram implementadas ao Pix no final de novembro: as funcionalidades de saque e de troco, que permitem que brasileiros consigam sacar dinheiro vivo em lojas e outros estabelecimentos comerciais, tal como em um caixa eletrônico. As novas modalidades podem ser uma oportunidade para beneficiar empresários, atrair clientes e alavancar negócios.

De acordo com a contadora e professora do curso de Ciências Contábeis da Faculdade Pitágoras Maceió, Heliane Lopes, os empreendedores devem aproveitar a situação para aumentar as vendas e apresentar seus produtos. “As novas funções permitem aos clientes retirar dinheiro em mercados, padarias e diversos comércios. É a chance de empresários expandirem os negócios”, afirma.

No modo Pix Troco, o freguês informa ao vendedor que gostaria de receber troco em dinheiro na compra de uma mercadoria – o total que aparece na nota do cliente é a soma do produto comprado mais a quantia solicitada. Já com o Pix Saque, uma pessoa pode visitar o estabelecimento que ofereça a modalidade e informar o quanto quer sacar e, depois da autenticação de pagamento, recebe o valor em espécie.

“Essas novidades da ferramenta são ótimas oportunidades para os negócios menores, que têm a chance de inovar seu empreendimento e aumentar a quantidade de vendas, isso gera melhorias no fluxo de caixa”, explica Heliane. “Os comerciantes que optarem por realizar os serviços recebem uma tarifa de R$ 0,25 a R$ 0,95, de acordo com o Banco Central (BC), por cada operação. É um modo de incentivar o serviço e ajudar nas finanças”, complementa.

A especialista explica que o estabelecimento pode determinar o horário que vai oferecer a função. “O dono do comércio pode escolher o período em que vai disponibilizar o serviço. Pode ser, por exemplo, num horário com maior valor acumulado no caixa. Dessa forma, já diminui os riscos de acumular grandes quantias em caixa ou prejuízos maiores em roubos e assaltos”, pontua.

 

COMO ADERIR

Os representantes comerciais já podem, desde o final de novembro, solicitar as funcionalidades de Pix ao BC para serem agentes de saque e de troco. Para empresas que ainda não tem cadastro para coberturas dessa modalidade, é preciso, primeiro, definir em qual conta irá receber os pagamentos – mais de 700 instituições estão cadastradas, incluindo bancos e cooperativas. O estabelecimento, então, deve se adequar para disponibilizar o serviço (para oferecer um QR Code e Chave Pix aos clientes, por exemplo).

Os locais que trabalham com a funcionalidade estarão listados em uma plataforma de geolocalização e qualquer pessoa pode verificar, no aplicativo dos bancos em que tem conta, onde podem encontrar pontos de saques mais próximos.

O Pix foi implementado em 2020 e seu uso aumenta a cada mês. Segundo o BC, mais de R$ 502 bilhões foram movimentados no último mês de outubro e a quantidade de operações já supera a maioria dos meios de pagamentos tradicionais.

 

Por: Juliete Neves / Pitágoras

Postar um comentário

0 Comentários