PREPAREM OS BINÓCULOS: COMETA PASSARÁ PERTO DA TERRA NO PRÓXIMO DOMINGO

O COMETA E PODERÁ SER VISTO COM BINÓCULOS COMUNS E OS VESTÍGIOS PODERÃO SER VISTOS A OLHO NU  
Não são todos os dias que nós temos a oportunidade de observar com facilidade a aproximação de um cometa. Pois, de acordo com Kristen Bobst, do portal Mother Nature Network, um desses astros está de passagem pela nossa vizinhança — e poderá ser visto sem a necessidade de equipamentos ultrassensíveis e de altíssima capacidade. Na verdade, quem souber onde procurar inclusive poderá ver vestígios do objeto a olho nu!

Segundo Kristen, se trata do Catalina, um cometa de duas caudas e com um diâmetro de aproximadamente 20 quilômetros, descoberto em outubro de 2013. Na verdade, em um primeiro momento, os cientistas pensaram que se tratava de um meteoro, mas, após estudar o comportamento do astro com mais cuidado, eles chegaram à conclusão de que o que eles estavam observando era um cometa.

VISITANTE:
O cometa foi identificado pelo pessoal do programa Catalina Sky Survey, da NASA, e os astrônomos estimam que ele tenha se formado há 4,6 bilhões de anos, provavelmente na Nuvem de Oort — região do espaço que se encontra a aproximadamente 1 ano-luz do Sol e cuja parte externa marca os limites do sistema solar.

PUBLICIDADE:
Segundo Joe Rao, do portal Space.com, os astrônomos acreditam que esta é a primeira vez que o Catalina passa pelos limites internos do sistema solar — e pode ser que esta também seja a sua última passagem por aqui.

Os astrônomos especulam que o cometa pode ter sido “arrastado” de sua órbita original pelas forças gravitacionais de outros objetos no passado, o que lhe conferiu uma órbita hiperbólica. Essa característica dá ao Catalina velocidade suficiente para que ele possa “escapar” da atração gravitacional do Sol e seguir viagem para fora do sistema solar — para nunca mais voltar.

DE OLHO NO CÉU:
O Catalina vem sendo observado pelos astrônomos desde novembro do ano passado, quando passou pelo ponto mais próximo do Sol, ou seja, ao se aproximar a pouco mais de 120 milhões de quilômetros da estrela. Agora, no próximo domingo, dia 17 de janeiro, o astro deve fazer a sua maior aproximação com a Terra, passando a apenas 108,5 milhões de quilômetros de nós — o que, em termos astronômicos, é logo ali.

Segundo a NASA, para encontrar o Catalina, é necessário localizar o “Grande Carro”, ou seja, o grupo formado pelas sete maiores estrelas da constelação Ursa Maior. O cometa aparecerá por essa região do céu na forma de uma manchinha azul-esverdeada, que é a cor de seu núcleo, e quem tiver um bom par de binóculos poderá distinguir mais detalhes do astro, como as suas duas caudas.

Vale lembrar que a poluição e o excesso de luzes — inclusive a da Lua — podem interferir na observação. No entanto, considerando que esta pode ser a última vez que o Catalina nos brinda com a sua visita, não custa torcer para que o céu esteja limpo para vê-lo passar, você não acha?



FONTE(S) Mother Nature Network/Kristen Bobst / Space.com/Joe Rao / NASA 

Aviso do Bocão 64

Caro internauta: A sua opinião sobre esta matéria é muito importante, mas os comentários que você postar nesta página, são de sua exclusiva responsabilidade e não representam a opinião do site. Rode o mouse para baixo, participe, comente e divirta-se.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.