VÍDEO: MÃE CONFESSA TER MATADO SEU FILHO DE 2 ANOS QUEIMADO EM FOGUEIRA DE LIXO

MÃE ACENDE UMA FOGUEIRA, JOGA O FILHO E PRENDE A CRIANÇA COM PEDAÇO DE PAU PARA SER QUEIMADA VIVA  
Uma morte bárbara que chocou a cidade de Piranhas, no estado de Goiás, teve um desfecho monstruoso. O pequeno Alexandre Coutrim Rodrigues, de 2 anos, morreu no ultimo domingo (25), queimado em uma fogueira em uma propriedade rural do município.

As primeiras informações repassadas a Polícia pela mãe da criança eram de que a morte da criança havia sido um acidente. De acordo a primeira versão de Adriana Coutrim Moreira, mãe da vítima, por volta das 15 horas do dia fatídico o pequeno Alexandre Coutrim Rodrigues brincava no quintal da residência, enquanto ela havia juntado um monte de lixo para colocar fogo, sendo que em certo momento a criança aproveitou o seu descuido e pegou a garrafa com álcool e se aproximou das chamas, momento em que aconteceu a tragédia.

A própria mãe do garoto acionou o resgate e a Polícia, mas ao chegar ao local às autoridades constataram que a criança já estava sem vida. Assim que o caso começou a ser investigado, a versão da mãe da criança começou a cair por terra. Pois a Polícia constatou que na cena do crime havia evidencias que apontavam para um homicídio e não um acidente como havia relatado a mulher.

O desfecho macabro deste caso se deu na tarde desta quarta-feira (29), quando em depoimento concedido por Adriana, na Delegacia da Polícia Civil de Piranhas, a mãe do pequeno Alexandre, confessou ter sido a autora do crime e narrou à forma monstruosa que tirou a vida do próprio filho.

Em um vídeo que se espalhou pelas redes sociais, Adriana Coutrim Moreira, 29 anos, narrou em detalhes o assassinato de Alexandre Coutrim Rodrigues, o seu filho de apenas dois aninhos.

Como se pode assistir no vídeo abaixo a mulher disse que levantou cedo, arrumou algumas coisas, fez almoço e deu comida para as crianças. Em seguida, ela colocou os filhos para dormir. “Enquanto eles dormiam eu fui até o quintal e juntei o lixo e uns galhos de maracujá e coloquei fogo. Nesse dia eu estava muito chateada e nervosa, porque não tenho parentes em volta e não saio para lugar nenhum, só ficava lá fazendo as coisas e ele (Alexandre) estava chorando muito em cima de mim, aí eu peguei fiz este trem lá,  Joguei ele no fogo e segurei ele e  joguei álcool . Ele tentou sair, mas eu segurei ele com um pedaço de madeira”, relatou a mulher.

Durante o depoimento Adriana ficou ao lado do marido o tempo todo. Ela passou por exame no Hospital Municipal Cristo Redentor e foi encaminhada ao presídio local.

As investigações apontam que a criança possivelmente já tinha sido vítima de violência outras vezes, pois o histórico de ocorrências envolvendo o menino, de acordo aos registros do SAMU (Serviço Móvel de Urgência), as equipes já foram chamadas outras três vezes para atender Alexandre. Uma por afogamento, outra por envenenamento e uma terceira por atropelamento. (Com informações Jornal o+Positivo)



Aviso do Bocão 64

Caro internauta: A sua opinião sobre esta matéria é muito importante, mas os comentários que você postar nesta página, são de sua exclusiva responsabilidade e não representam a opinião do site. Rode o mouse para baixo, participe, comente e divirta-se.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.