Eunápolis

Eunápolis – Os quatro acusados da morte do radialista Ronaldo Santana, foram absolvidos em júri popular


Um crime chocou a comunidade eunapolitana e toda a região, quando em 09/10/1997, o radialista Ronaldo Santana foi assassinado com quatro tiros, na presença do filho, quando se dirigia para o seu local de trabalho, a Rádio Jornal, onde fazia um programa “linha dura”, apontando problemas sociais relacionados à política regional.

O julgamento do crime foi sendo adiado constantemente e quase 21 anos depois, finalmente o caso foi a júri popular, no Fórum de Eunápolis, onde os quatro apontados como mandantes do crime foram absolvidos, na tarde desta quarta-feira, 16/05/2018, após três dias de julgamento. São eles, o ex-prefeito de Eunápolis, Paulo Ernesto Ribeiro da Silva, conhecido como Paulo Dapé, Valdemir Batista de Oliveira (irmão do prefeito Robério Oliveira, conhecido como Dudu, hoje vereador), Maria José Ferreira Souza (conhecida como Maria Sindoiá) e o advogado Antonio Oliveira Santos (o Toninho da Caixa).

Paulo Dapé era apontado como o mandante do crime, já que era o prefeito, na época e alvo constantes das críticas do radialista, entretanto a defesa afirmou que Ronaldo criticava e denunciava também várias outras pessoas, que poderiam ser mandantes do crime e que todas as acusações contra Dapé não passavam de perseguições políticas.

Os advogados de defesa alegaram falta de provas suficientes e o júri considerou os quatro acusados, inocentes.

O ex-policial Paulo Sérgio Mendes Lima, foi preso em 2002, acusado de ser o executor do crime, confessou, foi julgado e cumpriu uma pena de 19 anos.




Aviso do Bocão 64

Caro internauta: A sua opinião sobre esta matéria é muito importante, mas os comentários que você postar nesta página, são de sua exclusiva responsabilidade e não representam a opinião do site. Rode o mouse para baixo, participe, comente e divirta-se.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.