Gerais

Crime bárbaro – Mulher foi enterrada viva num quarto e concretada pelos sogros, suspeita a polícia

A vítima estava em processo de separação e os sogros queriam ficar com os netos
Um crime que chama a atenção da mídia mundial, mostra o quão macabro pode ser um ser humano, se é que se pode chamar assim uma pessoa que comete um crime bárbaro, como este que descrevemos.

Na última segunda-feira, 05/11/2018, o corpo de uma mulher foi encontrado enterrado em um quarto de uma casa alugada na Zona Norte de São Paulo. A polícia já comprovou que o corpo é da assistente social e coordenadora do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) do Butantã, Zona Oeste da cidade. Ela estava desaparecida desde o dia 2 de outubro. O corpo está sendo periciado para descobrir a causa da morte.

A vítima estava separada e os sogros tinham verdadeira obsessão pelos netos e pretendiam criá-los como filhos. A partir daí, premeditaram o crime, segundo a polícia.

A suspeita é a de que ela tenha sido sequestrada e morta pelos sogros por asfixia ou enterrada viva após ter sido golpeada na cabeça. O laudo do IML irá comprovar a identidade do corpo e a causa morte.
As investigações da polícia apontam que ela foi sequestrda e assassinada pelos sogros, Fernando Antônio Martins de Oliveira e Maria Izilda Pereira Miranda.

"Nossa investigação chegou a conclusão que o corpo pertence a vítima, mas ainda é necessário o laudo dos exames. Os familiares estão fornecendo para a polícia material", afirmou o delegado.

O casal está preso desde o dia 18 de outubro. A Polícia deve pedir a prorrogação da prisão temporária dos suspeitos.

O crime
A polícia acredita que Márcia tenha sido enganada e levada a uma agência bancária, sob o pretexto dos sogros quererem abrir uma conta para os netos. Em seguida, eles a teriam levado a uma casa alugada por eles, onde ela criaria os filhos, com o apoio deles, já que havia um processo de separação em andamento. As crianças têm 4 anos (um menino) e 9 meses (uma menina). Na casa, ela foi morta e enterrada num buraco fundo e depois jogaram concreto por cima.

"Ela foi atraída, convidada a entrar no carro para ver a casa, lá chegando ganharam acesso ao imóvel e provavelmente no último cômodo atingiram a vítima com um golpe na cabeça, e a partir daí ela pode ter sido enterrada viva ou asfixiada", explica o delegado. 

Ainda segundo Mário Sérgio, o imóvel teria sido alugado para executar a servidora. Dias após fechar o contrato com a imobiliária, Fernando ligou para uma loja de materiais de construção e comprou cimento e ferramentas para escavação.




Aviso do Bocão 64

Caro internauta: A sua opinião sobre esta matéria é muito importante, mas os comentários que você postar nesta página, são de sua exclusiva responsabilidade e não representam a opinião do site. Rode o mouse para baixo, participe, comente e divirta-se.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.