Covid-19

Nem com plano: explosão de casos na Bahia já não garante leito nem na rede particular

Com escalada da covid-19, ter convênio médico não significa vaga garantida em UTIs; tire dúvidas

A realidade é dura, mas é preciso ser dita. Caso o coronavirus não seja contido, o colapso na rede de saúde pode atingir a todos, incluindo quem tem a carteirinha do plano de saúde guardada na bolsa ou na carteira. Uma explosão de casos pode não garantir atendimento imediato, tampouco internação, mesmo pagando para ter o benefício. Os hospitais particulares ainda possuem leitos disponíveis. Contudo, o quadro atual preocupa. Ao contrário dos locais públicos destinados exclusivamente aos pacientes com covid-19, as redes privadas destinam seus leitos e UTIs para outros pacientes, como recém-operados ou com traumas, o que diminui sua capacidade de internação.

“A taxa de ocupação dos hospitais está muito elevada, principalmente neste período. Retornamos com as cirurgias eletivas e os traumas também voltaram em maior grau. A rede privada ainda tem leitos, sim. Mas as unidades de saúde, de fato, estão com uma taxa de ocupação alta e preocupa”, disse Mauro Adan, presidente da Associação de Hospitais e Serviços de Saúde da Bahia (AHSEB).  Pelo menos, por enquanto, nenhum hospital particular chegou ao colapso. A AHSEB ainda não divulgou a taxa de ocupação nas UTIs das redes particulares, pois cada local tem uma demanda diferente, dificultando a contagem. A preocupação é justamente no processo de atendimento, que não abrange apenas pacientes de covid-19. Foi preciso criar um meio de separar cada paciente.

“O sistema de saúde privado da Bahia, pelo menos no ano passado, não teve lotação máxima, olhando como um todo, mas principalmente em Salvador. As pessoas não devem relaxar, pois não acabou. Precisamos diminuir o número de pessoas internadas, pois existem outros pacientes que precisam de cuidados, consultas, fazendo seus exames e cuidando da saúde e utilizando leitos quando necessário”, disse Adan.

Os hospitais particulares oferecem atendimento de covid e não covid, sempre evitando o cruzamento destes pacientes, mas é preciso continuar cuidando da saúde, usando máscara, cumprindo as recomendações das unidades sanitárias. É preciso intensidade nestes cuidados. O risco é para todos, com ou sem plano de saúde”, completa.

Afinal, o paciente que contraiu o coronavírus tem internação garantida nos hospitais que atendem o plano de saúde dele? Depende. Se a categoria do plano cobre, sim. Contudo, também depende da lotação no leito.  Na última quarta-feira, o hospital particular Primavera, em Aracaju (SE), suspendeu as atividades emergenciais após superlotação de seus 19 leitos, por conta da covid-19. Caso hospitais particulares daqui cheguem ao mesmo colapso do vizinho, a orientação é procurar seu convênio, que vai indicar um local para atendimento. Em caso de extrema-urgência e ao mesmo tempo faltar vagas nos hospitais particulares, a rede pública vai assumir o caso.

Opinião do editor/Bocão64:

A vacinação ainda não atingiu a todos e os altos riscos de contaminação vão perdurar ainda por um bom tempo. Cabe a cada um de nós observar a recomendações e tentar evitar ao máximo esses riscos. A pandemia do Covid-19 é um risco real que coloca a humanidade em risco.

FONTE/IMAGEM: CORREIO 24 HORAS


CURTA NOSSO FACEBOOK

SIGA NOSSO INSTAGRAM

ENTRE EM NOSSO WHATSAPP

NOSSO CANAL NO YOUTUBE

PUBLICIDADE:

 

Aviso do Bocão 64

Caro internauta: A sua opinião sobre esta matéria é muito importante, mas os comentários que você postar nesta página, são de sua exclusiva responsabilidade e não representam a opinião do site. Rode o mouse para baixo, participe, comente e divirta-se.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.