Política

Vereadores defendem inclusão social de pessoas com deficiência



Em sessão inédita, o debate sobre o setembro verde e a inclusão de pessoas com deficiência mereceu atenção da Câmara de Vereadores de Eunápolis nesta quinta-feira (16/09). Os vereadores trataram da situação dos deficientes físicos em Eunápolis, cuja população, segundo dados do IBGE (instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), gira em torno de 15 mil pessoas.

A convite da Mesa Diretora, o presidente do Conselho da Pessoa com Deficiência de Eunápolis e do Movimento de Inclusão da Pessoa com Deficiência, professor Vagner Santos, emocionado, usou a tribuna livre da Câmara e convidou a comunidade a fazer parte da caminhada pela inclusão, marcada para o dia 21 de setembro, às 9 horas, com saída do início da Avenida Porto Seguro em direção a Praça da Bandeira, quando haverá uma apresentação feita pela comunidade surda de Eunápolis.

A caminhada marca o Setembro Verde, com atividades previstas até o dia 15 de outubro, em alusão à inclusão da pessoa com algum tipo de deficiência. Segundo o professor Vagner Santos, que é cadeirante, “o movimento tem a missão de colaborar na defesa dos direitos das pessoas com deficiência, por todos os meios legais, e lutar por 365 dias de inclusão à saúde, educação, esporte, cultura e lazer”.

“O nosso lema é ‘nada sobre nós sem nós’ porque a maior deficiência é não reconhecer a nossa eficiência”.

 

INSERÇÃO DA COMUNIDADE SURDA

Em seguida, falou a representante da comunidade surda, Cecília Gonçalves, cuja comunicação em Libras (Língua Brasileira de Sinais) foi traduzida pela intérprete Luine Hora. Cecília pontuou a grande barreira para os surdos, especialmente na obtenção de atendimento na área da saúde, haja vista que o Hospital Regional não disponibiliza um interprete de Libras para seus pacientes.

Luine Hora interprete de libras

Cecília disse que estava emocionada a ponto de “querer chorar” com a oportunidade que foi dada a ela pelo presidente da Casa, Jorge Maécio (PP) e parabenizou a instituição pelo processo de inclusão que muito contribui com o grupo de quase 200 surdos na cidade. Por fim, ela ainda destacou a necessidade de melhorias e investimentos em acessibilidade e mobilidade urbana.

Outro destaque da sessão ordinária desta quinta-feira (16/09) foi a participação da intérprete de Libras, Luine Hora, que de agora em diante vai participar de todas as sessões da Câmara de Vereadores de Eunápolis como tradutora da Língua Brasileira de Sinais.

Jorge Maécio, Presidente da Câmara de Vereadores de Eunápolis


Ao explicar a iniciativa de sua gestão, o presidente Jorge Maécio agradeceu a presente dos diretores e membros do CAEEDE e disse que “em tempos de inclusão social, não devemos excluir o ser humano com alguma deficiência. Cada um tem sua peculiaridade, mas devemos nos lembrar de que o impossível só existiu até o dia em que inventaram a superação”, afirmou o parlamentar.

O vice-presidente, Renato Bromochenkel (Avante), em seu discurso, ressaltou que é preciso respeitar as diferenças. Ele é autor do Projeto de Lei Setembro Verde aprovado pela Câmara e sancionado pelo Executivo.

Por Ascom/CME – Foto: Milton Guerreiro



Aviso do Bocão 64

Caro internauta: A sua opinião sobre esta matéria é muito importante, mas os comentários que você postar nesta página, são de sua exclusiva responsabilidade e não representam a opinião do site. Rode o mouse para baixo, participe, comente e divirta-se.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.