AJOELHOU? TEM QUE REZAR: CONHEÇA A IGREJA QUE VENERA O BILAU

PASMEM, MAS EXISTE SIM UMA IGREJA ONDE OS CULTOS SÃO REALIZADOS COM PESSOAS NUAS EM VENERAÇÃO A PRÍAPO, O DEUS GREGO DA FERTILIDADE  
O pênis é cultuado como símbolo de poder em várias culturas no mundo. Até hoje, itens e objetos fálicos fazem parte de nosso cotidiano. Contudo, algumas pessoas levam o interesse um pouco além do desejo sexual e criam certos dogmas de veneração.

Antes de tudo: quem é Príapo? Ele é o deus grego da fertilidade. Representado em pinturas e esculturas como um homem idoso e com um gigantesco órgão genital ereto, Príapo é filho de Dionísio e Afrodite, sendo o protetor de rebanhos, uvas, abelhas e outras coisas.

Hoje, o templo possui várias sedes em outras cidades, como Montreal. O culto ficou mais conhecido depois do lançamento do filme "The Dickumentary". "Um documentário que busca explicar a história do melhor amigo do homem", é assim que a película é descrita em sua página no Facebook.

O TEMPLO DE PRÍAPO
Existe uma regra óbvia para os participantes do templo: todos devem adorar ao pênis como pré-requisito. De acordo com a religião, o órgão masculino é sagrado e, durante pelo menos quatro horas por semana, deve ser devotado à masturbação — ou a ajudar outros nesta tarefa árdua.

O culto possui uma natureza sexual clara e explícita, com encontros semanais para veneração do falo e sexo grupal. "O templo é um local para nós expressarmos a nossa sexualidade. É um lugar para nós nos sentirmos livres e desinibidos, para nos explorarmos, para aprendermos sobre nós mesmos e para crescermos unidos", comentou no documentário o Pontifex (Pontífice Máximo) do Templo de Príapo, David Francis Cassidy.

Atualmente, apenas homens fazem parte da igreja do bilau. Contudo, David sabe que existem mulheres no mundo que também gostariam de venerar o pênis em seu templo, então a presença feminina é uma ideia que está começando a ser mais aceita entre os membros.

Além do órgão, os religiosos também veneram a Escritura da Semente Sagrada, chamada informalmente de Bíblia do Culto ao Homem, recheada de significados eróticos e sexuais.


HOSANA VAI ÀS ALTURAS
O processo do culto se inicia com o Pontifex no centro do altar rodeado de velas e incensos. Muitas palavras de veneração ao falo são ditas então. Enquanto isso, todos no local estão em pé de "arma em riste" — ou tentando, caso seja muito tempo, não é? —, igual ao papa máximo do templo.

Após este certo tempo desconhecido de veneração, "nós fazemos tudo aquilo que achamos certo fazer", disse David. O altar também é decorado com “bilaus” de todos os tamanhos e cores.


ESTÁ INTERESSADO? CONHEÇA AS REGRAS
Templo não é bagunça. Então, existem algumas regras que devem ser seguidas por todos os participantes. Caso você queira participar do Templo de Príapo ou abrir uma sede em terras brasileiras, saiba quais são os dogmas:
- A nudez é obrigatória durante os cultos
- Anéis próprios para falos devem ser usados
- O tamanho do bilau não é relevante, apenas o seu orgulho por ele
- É necessário participar do sexo grupal, mas não é exigido "que você faça o que não quer"
- O sexo anal é permitido desde que seja feito com camisinha
- Fazer sexo (qualquer “tipo de ato sexual”) durante a entrevista de admissão como membro é obrigatório
- É proibido: usar drogas, ficar bêbado, brigar e desrespeitar outros membros
- Quatro horas por semana devem ser passadas no templo — no mínimo
- US$ 6 (R$ 19) de dízimo mensal
- É exigido compartilhar o pênis com alegria

Se você ficou interessado, este é o link do site do Templo de Príapo. Atenção: caso esteja no trabalho, recomendamos abrir o link em outra hora: http://templepriapus.org/
Clique >>aqui<< para curtir nossa página no facebook



FONTE(S) Templo de Príapo /  Megacurios

Aviso do Bocão 64

Caro internauta: A sua opinião sobre esta matéria é muito importante, mas os comentários que você postar nesta página, são de sua exclusiva responsabilidade e não representam a opinião do site. Rode o mouse para baixo, participe, comente e divirta-se.

3 comentários:

Tecnologia do Blogger.