Eunápolis

Eunápolis – Moradores da Rua Monte Serrat pedem socorro

Situação de abandono culmina com o medo dos prejuízos em épocas de chuvas
Moradores da Rua Monte Serrat, no bairro Sta. Lúcia, em Eunápolis, no extremo sul da Bahia, solicitaram a presença da equipe do site Bocão 64, para verificar de perto uma situação que se repete há anos, em épocas de chuvas, quando um verdadeiro caos toma conta daquele trecho da cidade. O Bocão 64 atendeu o pedido, como forma de apelo às autoridades. Em hipótese alguma fazemos politicagem neste canal de comunicação.

Na tarde de quarta-feira, 22/01/2020, um forte temporal varreu a cidade causando prejuízos e destruição em alguns pontos já bem conhecidos pela população. Em dois locais é um “Deus nos acuda” nas épocas de chuvas: A Feia do Bueiro e a Rua Monte Serrat.
A maioria das residências da R. Monte Serrat ficam abaixo do nível da rua

A feira do Bueiro precisa de um canal de escoamento muito maior do que o existente e a construção de uma grande abertura sob a banca da BR-101, para dar vazão às águas das chuvas, evitando o alagamento da área.
Final da Av. Ipiranga, cruzamento com R. Monte Serrat

Moradores da Rua Monte Serrat se dizem abandonados, com um problema bem mais fácil de ser resolvido. A Rua Ipiranga deveria ser asfaltada em toda a sua totalidade, mas o asfalto parou na “Praça do Sta. Lúcia”. O final da rua, pelo menos dois quarteirões, é de terra e termina no cruzamento com a Rua Monte Serrat. Com as chuvas, a força da água é imensa, devido ao declive acentuado da rua. Quando essa água chega na Monte Serrat, trazendo toda a lama da Rua Ipiranga, não encontra saída e acaba invadindo várias casas, destruindo móveis, eletrodomésticos e colocando a vida das pessoas em risco, como foi mostrado em vários vídeos que viralizaram na região.
As enxurradas descem pela Av. Ipiranga atingindo com violência residências em frente, na R Monte Serrat

O problema não é difícil de se resolver. Quase em frente a esse cruzamento existe uma casa abandonada que poderia ser comprada pela prefeitura e naquela área ser construída uma grande galeria subterrânea, em concreto armado, jogando toda a enxurrada para um boqueirão que existe no local, onde provavelmente deve passar um riacho. Naturalmente a Rua Ipiranga deveria ser completamente calçada ou asfaltada.
Uma das casas que foram mais atingidas, na Monte Serrat, de frente às enxurradas da Av. Ipiranga

Depois do primeiro impacto com as casas do tal cruzamento, a água de chuva e lama se divide, seguindo o curso natural da rua em declive, atingindo todas as demais casas que foram construídas abaixo do nível da rua, devido às poucas condições financeiras dos moradores.
Onde deveria ser uma pracinha serve para depósito de lixo e animais mortos

A reportagem também observou que onde deveria ter uma pracinha, algumas crianças teimam em brincar, se sujeitando a quedas e machucados, já que o local é cheio de pedregulhos e serve mais como depósito de lixo onde se jogam animais mortos e tudo quanto é tranqueira.
O vídeo abre com 2 cliques:

A reportagem conversou com vários moradores e todos reclamavam, se queixando do abandono do poder público e dos prejuízos previsíveis em toda época de chuvas. Uma situação lastimável que só depende de atitudes política, para a solução.
O vídeo abre com 2 cliques:




Aviso do Bocão 64

Caro internauta: A sua opinião sobre esta matéria é muito importante, mas os comentários que você postar nesta página, são de sua exclusiva responsabilidade e não representam a opinião do site. Rode o mouse para baixo, participe, comente e divirta-se.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.