Saúde

Úlcera, como de João Zoli, é como queimadura de 3º grau no estômago


Ex-participante de A Fazenda está com três úlceras e hemorragia interna; principal sintoma é dor que parece uma facada na região superior do abdome
João Zoli, ex-participante de A Fazenda, foi internado após ser diagnosticado com três úlceras no estômago. O modelo já estava com sangramento interno, o que indica um estágio grave da doença.

A úlcera equivale a uma queimadura causada pelo excesso de acidez e fraqueza da mucosa que reveste o órgão.

“É uma queimadura profunda de terceiro grau no estômago, como se criasse um buraquinho no tecido que o recobre”, compara o gastroenterologista Bruno Zilberstein da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

O principal sintoma é a chamada dor em três tempos. “A pessoa sente um aperto ou como se levasse uma facada na boca do estômago. Aí ela se alimenta e tampa a úlcera, então a dor desaparece mas, quando o alimento é digerido, ela volta”, descreve o especialista.

Segundo ele, a ferida é resultado da grande quantidade de acidez e da fraqueza da mucosa estomacal para suportar essa condição. Além disso, existem alguns elementos agressores da parede do estômago.

Um deles é a bactéria Helicobacter pylori, conhecida como H. pylori, encontrada nas fezes, na saliva e nos dentes, e que pode ser transmitida de pessoa para pessoa. A infecção é a causa mais comum de gastrite e úlcera em todo o mundo, ressalta o Manual Merck de Diagnóstico e Tratamento.

Anti-inflamatórios, corticoides e antibióticos também promovem essa agressão, diz Ziberstein. Por isso, existem medicamentos que são protetores ácidos para quem precisa tomar esse tipo de remédio.

O médico também destaca que existe uma acidez natural no estômago, mas certos aspectos fazem com que ela se torne exagerada.
“Estados emocionais de forte estresse, assim como o consumo de café, álcool, cigarro e comida gordurosa aumentam a acidez”, afirma. “Esses produtos, se usados diariamente, são como água mole em pedra dura: tanto bate até que fura”, analisa.

João Zoli terminou o namoro com Gabi Prado no começo desta semana. Ziberstein confirma que esse acontecimento pode ter piorado a úlcera. O modelo já estava vomitando sangue quando foi ao hospital. A hemorragia interna indica o agravamento da doença.

“A úlcera corrói o tecido que reveste o estômago até chegar em um vaso [sanguíneo], então ele também é corroído e a pessoa tem hemorragia”, explica.

“Outra possibilidade é perfurar a parede do estômago até cair na cavidade abdominal, isso gera uma infecção generalizada do abdome.”.
Quem tem hemorragia não pode comer ou beber nada. Nesses casos, a pessoa é mantida com soro. Apesar disso, casos de morte são raros.

“Dificilmente, hoje em dia, [a úlcera] é fatal, porque temos medicamentos potentes de combate e diagnóstico muito rápido, o resultado da endoscopia é imediato”, ressalta o médico.

Em geral, ao fazer o tratamento com remédios, o paciente é curado em três semanas. Mas a úlcera pode voltar. “Por isso, se existirem sintomas persistentes, é sempre bom fazer uma endoscopia”, aconselha.

A gastrite é uma doença que atinge cerca de 70% da população do Brasil. Ela pode ser causada pelo consumo excessivo de álcool, alimentos ácidos, estresse ou por uma bactéria chamada Helicobacter pylori. Os principais sintomas são fortes dores na boca do estômago, náusea e vômitos. Segundo a Sobed (Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva), se a doença não for tratada, pode se tornar uma úlcera, gastrite crônica, atrofia gástrica ou até mesmo câncer. Conheça mitos e verdades sobre um problema tão comum entre os brasileiros


1 - Ficar muito tempo sem comer pode estimular o desenvolvimento da gastrite. Verdade
Ficar longos períodos sem se alimentar pode acentuar os sintomas da doença, mas não necessariamente causá-la.

3 - Beber leite ameniza as dores estomacais. Mito
Beber leite frio, ou em temperatura ambiente, pode amenizar o desconforto, mas não faz com que as dores melhorem. Isso porque o leite é rico em cálcio e proteína — estimulantes da secreção de ácido estomacal. Por isso, a ingestão do alimento, em vez de ajudar a diminuir as dores, acaba aumentando-as posteriormente.

4 - Existe cura para a gastrite. Verdade
A doença pode ser causada por vários fatores: o consumo frequente de álcool e alimentos ácidos, o uso prolongado de anti-inflamatórios, ou até mesmo a bactéria Helicobacter pylori (H pylori). Para que a doença seja curada, o consumo excessivo deve ser interrompido, e, no caso de a causadora ser a bactéria, ela deve ser tratada com remédios indicados por um gastroenterologista. Mas, fique atento. Se a gastrite for crônica, com evolução para atrofia e metalepsia, é irreversível.

5 - A gastrite é hereditária. Mito
A doença é adquirida por uma infecção ou pela ação de agentes estimulantes — ela não tem relação com questões hereditárias. Diferentemente, por exemplo, dos cânceres de estômago, que podem ser transmitidos de pais para filhos.

6. O estresse do dia a dia pode acentuar a doença. VERDADE
As preocupações excessivas com questões do trabalho, financeiras ou pessoais estimulam a liberação dos hormônios do estresse — o cortisol e a adrenalina. Esses hormônios aumentam a secreção do suco gástrico, acentuando os sintomas dos já portadores da doença.

7.  Portadores de gastrite não devem ingerir café nem refrigerantes. Verdade
O café rico em cafeína e xantinas, que estimulam o sistema nervoso a produzir ácido estomacal. Ingerir a bebida com frequência aumenta os sintomas de refluxo e dor de estômago, piorando a doença. Já os refrigerantes são bebidas de pH ácido, que, além de acentuar o desconforto e as dores abdominais — pela grande quantidade de gases —, agravam os sintomas da doença.

R7



Aviso do Bocão 64

Caro internauta: A sua opinião sobre esta matéria é muito importante, mas os comentários que você postar nesta página, são de sua exclusiva responsabilidade e não representam a opinião do site. Rode o mouse para baixo, participe, comente e divirta-se.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.