Ticker

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Variante Ômicron já corresponde a 90% dos casos globais de Covid-19




Dominante durante o ano de 2021, variante Delta hoje responde por cerca de 10% das infecções pelo coronavírus


Os casos de Covid-19 associados à variante Ômicron, mais contagiosa que as cepas anteriores do coronavírus, já representam 90% dos analisados em laboratórios de todo o mundo, segundo informou nesta terça-feira a Organização Mundial da Saúde (OMS).


Em seu relatório epidemiológico global, a agência com sede em Genebra informou que, das 372.000 amostras analisadas pela rede global de laboratórios Gisaid nos últimos 30 dias, a variante Ômicron foi detectada em 332.000 (89,1%).




A variante Delta, dominante durante grande parte de 2021, foi confirmada em apenas 10,7% dos casos, enquanto as porcentagens de outras cepas foram quase insignificantes.


O relatório revela ainda que vários países detectaram aumentos em uma subvariante da Ômicron, denominada BA.2, o que preocupa alguns cientistas devido à sua maior dificuldade em ser detectada por testes, embora a OMS tenha ressaltado que 98,8% dos casos confirmados de Ômicron pertencem à subvariante BA.1, que não possui esse recurso.



Por outro lado, a OMS reiterou que parece haver "menor risco de doença grave e morte" naqueles infectados com a variante Ômicron, apesar de o aumento acentuado de casos que causou, com números recordes de infecções em todo o mundo, ter pressionado muitos sistemas de saúde.


A capacidade da variante Ômicron de evitar a imunidade que vacinas e anticorpos de pacientes recuperados teoricamente produziram é, segundo a OMS, o principal fator que explica o aumento exponencial de infecções resultantes da onda atual.


O relatório também deduz que a Ômicron pode gerar um número maior de casos assintomáticos, o que por sua vez pode ter propiciado a expansão global do coronavírus nos últimos três meses.

FONTE: R7


COMPARTILHE ESTA MATÉRIA CLICANDO NOS ÍCONES ABAIXO:

Postar um comentário

0 Comentários